Edições Natureza © - Todos os direitos reservados. 2.003 - 2.015                                                

 

 

   Repolho  -  Brassica Oleracea Capitata.

 
 

O repolho – planta hortense da família das Crucíferas – é uma espécie de couve com as folhas enoveladas, parecendo um globo. Encerra excelentes propriedades medicinais e nutritivas, destacando-se o seu teor em ferro, cálcio e vitaminas B1 e C.

Uso medicinal

O repolho poderia ser na terapêutica o que o pão é na alimentação. O repolho é o médico dos pobres. O repolho é um medicamento de grande eficácia e de larga possibilidade de aplicação. Esta afirmação repousa sobre ricas experiências próprias. Os romanos, durante seis séculos, não conheciam por assim dizer, outro remédio a não ser o repolho. Empregavam-no interna e externamente como abstergente, e, em forma de cataplasmas, no tratamento d feridas dos seus legionários. Catão chegou a indicá-lo como específico contra a peste.

A erisipela pode desaparecer por completo, quer espontaneamente quer mediante o emprego de medicações diversas, mas, às vezes, após a cura, deixa atrás dores nervosas, especialmente sobre partes da cútis cobertas de pêlos. Essas sensações dolorosas podem ser debeladas instantaneamente com a aplicação de folhas de repolho. Surge a pergunta: Outras afecções nevrálgicas porventura não reagiriam da mesma maneira? De fato. Já se fez desaparecer nevralgias faciais e dentárias, com folhas de repolho. Cefalgias idiopáticas, independentes de febres ou distúrbios intestinais, bem como dores reumáticas e reumatóides, também são acessíveis à influência benéfica do repolho.

A algumas pessoas poderá parecer já exagerada a linha das enfermidades curáveis pelo repolho. E ainda não chegamos a mencionar, por exemplo, os tumores, igualmente acessíveis à ação do repolho. Ainda mais: Cada qual poderia, por si mesmo, ir longe, tão longe como quisesse, prolongando a referida linha, desde que chamasse em seu auxílio a observação, a experiência e a boa vontade. Efetivamente, a coisa mais fácil que existe é cada duvidoso fazer suas próprias experiências.

Diz-se que em virtude do abundante uso que fazem do repolho, os habitantes da Arvénia, da Bretanha e do Piemonte são extremamente fortes e robustos, sendo relativamnte rara entre eles a tuberculose. Extraordinárias curas foram realizadas com simples cataplasmas de folhas de repolho aplicadas à garganta, em casos de afonia, particularmente entre os cantores.

O repolho goza de propriedades alcalinizantes e é essencialmente rico em vitaminas e em sais minerais, especialmente potássio, cálcio, fósforo e ferro; por isso constitui um bom remédio para os desnutridos, anêmicos e debilitados em geral. É um dos vegetais, como a couve, que encerram arsênico, sendo recomendado por essa razão na tuberculose. A forma mais recomendável de comer o repolho, especialmente quando se têm em vista efeitos curativos, é cru, picado bem fino, em salada, com suco de limão. 

A água do repolho é ótima para curar as enfermidades do estômago, as úlceras internas, as hemorróidas e o alcoolismo;l nesses casos toma-se uma colher de hora em hora. As folhas do repolho, trituradas em um pilão, empregam-se exteriormente, em cataplasmas, contra feridas, tumores, inflamações, hemorróidas, gota, reumatismo. Para esses mesmos fins também podem empregar-se as folhas cozidas ao vapor. A combinação de suco de repolho fresco e de aipo é benéfica para amainar distúrbios instestinais. O suco de repolho, aplicado ao couro cabeludo, atua beneficamente, estimulando o crescimento do cabelo. Aplica-se, em fricções, duas vezes por dia.

Valor alimentício

Cru, em forma de salada, ou refogado, ou na sopa, ou preparado com leite, ou servido de outro modo, o repolho deve fazer parte da nossa alimentação. Cozinha-se o repolho, rapidamente, em panela destapada, para possibilitar a expulsão dos gases que produzem um cheiro que a muitas pessoas desagrada. Pode-se também deixa-lo fermentar em forma de chucrute, o apreciado “Sauerkraut” dos alemães, prato, aliás, muito popular na Alemanha, Áustria, Polônia, Ucrânia, etc.

Trazido para o Brasil pelos alemães e eslavos, o uso do repolho azedo se generalizou no sul do país, ao passo que e praticamente desconhecido no resto do Brasil. De todos esses modos de usar o repolho, o melhor, é o cru, cortado bem fino e temperado como salada. O repolho é, às vezes, apontado como indigesto. De fato, especialmente quando cozido, esse vegetal permanece no estômago mais tempo que outras hortaliças. Comido em excesso, o repolho fermenta e dá origem a formação de gases incômodos. O consumo de repolho não é aconselhável aos portadores de perturbações gastro-instestinais agudas ou crônicas, se bem que o respectivo suco seja neste caso um remédio.



Medicina Alternativa®