Edições Natureza © - Todos os direitos reservados. 2.003 - 2.015                                                          

 

 

      Chlorella -  Chlorella pyrenoidosa

 

 

A chlorella foi descoberta pelos japoneses, tradicionais consumidores de algas, que apreciam e a utilizam normalmente como complemento alimentar. Relatam uma sensação de bem estar e aumento da energia após um curto período de uso. É uma alga riquíssima em clorofila, proteínas, vitaminas, sais minerais e aminoácidos essenciais.
 
Chlorella são algas unicelulares de água doce que pertencem a categoria de celulas eucarióticas presentes no planeta a milhões de anos. Seu tamanho é aproximadamente o mesmo de um eritrócito humano, entre 2-8 microns de diâmetro.
 
O nome chlorella deriva do prefixo "Chloros" (verde) e sufixo "Ella" (pequeno), referindo-se ao extraordinário conteúdo de clorofila que dá a característica cor de esmeralda-verde. Esta alga apresenta 70% de sua composição da mais pura clorofila, o que faz dela a maior fonte de clorofila em nosso planeta.

A chlorella foi a primeira forma de vida com um núcleo verdadeiro. Em condições de luz solar e  água doce fresca há reprodução por divisão celular na razão de quatro novas células a cada 17/24 horas.

No início de 1900, compreendendo sua constituição em 60% de proteínas e ser de rápida multiplicação, cientistas de várias nações, especialmente da Alemanha, começaram a se interessar pela idéia de usá-la como alimento. Embora a pesquisa tenha sido interrompida pelas duas guerras mundiais na Europa, o entusiasmo continuou. Em 1948, um estudo piloto do Instituto de Pesquisa de Stanford sobre o crescimento dessa alga foi bem sucedido. Contudo, problemas financeiros impediram seu progreso. Após dois anos, pesquisadores do Instituto Carnegie perceberam que ela podia crescer em escala comercial e ser a solução para a fome no mundo.

O interesse como fonte de alimento partiu, no período pós-guerra, por parte do Japão, que passava por um sério problema: deficiência alimentar. Em 1951, a Fundação Rockefeller e o governo japonês apoiaram os estudos do Dr. Hiroshi Tamiya no Instituto Biológico Tokugawa, pioneiro no desenvolvimento da tecnologia de crescimento da Chlorella em larga escala. Seis anos mais tarde, a organização chamada Japão Chlorella fundou um centro de pesquisa e o maior tanque do mundo foi construída. Então, outra fundação, Japão Chlorella Associações, foi estabelecida com assistência financeira governamental. O objetivo era comercializá-la como  alimento. Mas, os planos foram adiados por dois anos porque o arroz, estava disponível em maior quantidade e menor custo. Outro motivo era sua baixa digestibilidade e  a sua melhora foi a chave para seu sucesso atual. Embora sua célula estivesse naturalmente protegida por inúmeros nutrientes por bilhões de anos, foi provado ser esta compressão a desvantagem para o consumo humano. O problema foi resolvido em 1975 quando uma patente descobriu que a quebra de sua parede celular rendia uma digestibilidade de mais de 80%. Comprovou-se que ela contém uma surpreendente variedade de vitaminas, minerais e outros nutrientes.

A maioria das algas tem uma estrutura similar a de um vírus, sendo primitivas por não possuírem núcleo. Exceto a Chlorella, o que lhe confere muitas de suas “propriedades extras”.

Sua parede celular, além de protegê-la, apresenta inúmeras moléculas de clorofila, conhecida pela maior concentração dessas em todo o planeta.

Durante, aproximadamente, os primeiros bilhões de anos de existência da Terra, sua atmosfera era repleta de gases fatais, como: amônia, metanol e dióxido de carbono. Então, tornou-se a função das plantas (inclusive a Chlorella) filtrá-los, possibilitando dessa forma, o surgimento da fauna e da flora.

A Chlorella não é visível a olho nu; é esférica; de 2 a 10 micrômetros de diâmetro e não possue flagelo. Depende da fotossíntese para crescer e se reproduzir, requerendo somente dióxido de carbono, água, luz solar e certos minerais.

Resistente à águas contaminadas com mercúrio, cádmio ou chumbo graças as suas inúmeras proteínas. Um livro escrito sobre a indústria extrativa mineral, “Absorção de Metais Pesados”, detalha o uso deste organismo para o aumento do rendimento das minas de metais preciosos. Os mucopolissacarídeos presentes na sua parede celular absorvem grandes quantidades de metais tóxicos.

Sua rápida taxa de reprodução é inacreditável. Uma célula pode se dividir em quatro a cada 16/24 horas. Se ela reproduzisse livremente, em condições ideais, após 63 dias haveriam células suficientes para ocupar toda a superfície terrestre. Porém, a natureza limita essa taxa de crescimento: cada uma requer uma quantidade substancial de luz solar. Além disso, um grupo dessa alga causa diminuição significativa no espaço disponível, e conseqüentemente, sua taxa de multiplicação.

Durante a divisão, a célula mãe se reproduz assexuadamente pela formação de 4, 8 ou raramente 16 auto-esporos (células filhas). Este ciclo completa-se em menos de 24 horas.

Diferente e superior a muitas vitaminas comerciais, seus nutrientes incluem proteínas, minerais, aminoácidos, enzimas polissacarídeos, fibras, vitaminas e clorofila.

A clorofila e seus derivados estimulam a formação de glóbulos vermelhos, afetam a nutrição e influenciam o metabolismo e a respiração.

As vitaminas são cobertas por aminoácidos e, conseguinte, o corpo as assimila mais rapidamente.

Ela possui 18 aminoácidos, incluindo os oito essenciais.

Dentre as enzimas, existem importantes enzimas digestivas, freqüentemente utilizadas em tratamentos de câncer.

Alguns dos polissacarídeos são: galactose, xilose, ramnose e arabinose, cruciais para melhorar o sistema imunológico, a capacidade de comunicação das células e identificação de corpos estranhos pelos linfócitos.

O índice de DNA é de 3 % de seu volume total e o de RNA varia de 0,2 a 0,3 %.

É rica em ácidos nucléicos - bons para o crescimento e anti-envelhecimento (estudos concluíram originalmente que as sardinhas tinham a maior concentração de ácidos nucléicos, mas a Chlorella  possui dez vezes mais desses ácidos que a sardinha).

Consiste dez vezes mais beta-caroteno que as cenouras e é rica em vitaminas do complexo B, mas, particularmente, a vitamina B-12 e por isso, excelente para vegetarianos.
Além de seu benefício como alimento, existem numerosos estudos, a maioria por parte do Japão (Sarkar 1994, Hayatsu 1993 ou Konishi 1990), que demonstram ser um forte impulsionador do sistema imune e combate várias infecções (Konishi).

Também mostrou-se na pesquisa japonesa que essa alga promove o crescimento nas crianças e fortalece seus tecidos por conter o Fator Chlorella de Crescimento (FCC).

Desde que a Chorella é conhecida pelo incremento do conteúdo das células brancas, ela ajuda durante e após a quimioterapia. E particularmente, aumenta a produção de macrófagos e linfócitos T.

Depois de uma pesquisa feita por Waladkhani e Clemens em 1990 (sobre os efeitos de fitoquímicos dietéticos no desenvolvimento do câncer), tem aumentado o interesse na clorofila no processo de combate ao câncer de colo e de mama. Um bom agente desintoxicante; ajuda na desintoxicação de metais pesados e pesticidas.

Esta primeira forma de existência na Terra também ajudou em seu balanceamento ácido/base.

Finalmente, indica-se o aumento da multiplicação de lactobacilos, ajudando na digestão e é utilizada como agente oxigenante do sangue, onde tem possibilidades interessantes contra células cancerígenas, que normalmente expandem-se a menos que exista um bom oxigenamento.

Por suas propriedades, não é de se admirar seu uso como suplemento alimentar pelos astronautas da NASA em suas viagens espaciais.

Existem 25.000 espécies de algas, que são plantas elementares sem raízes, caule e folhas. Elas, habitualmente, possuem clorofila, convertendo elementos químicos inorgânicos em matéria orgânica, usando a luz solar. Formam a primeira ligação na série de organismos que caracterizam a base da cadeia alimentar. A primeira chlorella foi identificada por volta do ano 1900, porém estão na terra desde o período Pré-Cambriano, há mais de 2,5 bilhões de anos. Até 1890, suas células não tinham sido identificadas por olhos humanos sob o microscópio. Cresceram de forma natural, primeiramente, na Holanda, no final de 1800.

A Chlorella contém C.G.F. ( Fator de Crescimento Chlorella ), que promove o crescimento de célula e mantém saúde de organismo. É o mais valioso componente entre as outras substâncias ativas na Chlorella uma vez que estimula a recuperação dos tecidos, protege a integridade das células e melhora a ingestão de nutrientes.

Chlorella é um excelente purificador orgânico e contém muitos nutrientes valiosos. Estudos e publicações médico-científicas em todo o mundo documentam que a chlorella é um excelente produto para a saúde.

Estas algas são alimentos originais. São perfeitos alimentos integrais, verdadeiros super alimentos. São compostos em média de 65% proteína, 13% carboidrato, 9% gordura e 6% minerais biodisponíveis. Não são extratos, concentrados ou amálgamas de vitaminas e minerais. Comer Chlorella é como comer qualquer outro alimento integral como banana, maçã ou brócolis. Ou seja, as microalgas são comida, e não remédios (ainda que possam ser utilizados com tal finalidade).

Em consequência de sua fácil digestibilidade, conseguida através de exclusivo sistema de desintegração da parede celular, seu valioso conteúdo é amplamente absorvido. Muitas doenças do homem moderno se devem a má alimentação, ao uso de agrotóxicos e aditivos químicos que, a longo prazo, mostram seus efeitos nocivos. A chlorella ajuda a suprir as deficiências e atua sobre o fígado estimulando suas funções. As proteínas são integralmente aproveitadas pelo organismo em seu metabolismo, bem como a clorofila e o magnésio que são transformados em elementos fundamentais para o sangue.

A presença de cálcio a indica como auxiliar no tratamento de fraturas, de enfraquecimento ósseo e na osteoporose.
O alto teor em fósforo proporciona uma melhor e maior atividade cerebral. Em sua composição estão ainda presentes 18 aminoácidos essenciais importantes na biossíntese das proteínas.

A chlorella também é rica em vitaminas do complexo B, principalmente a B12, vital na formação e regeneração das células sanguíneas que juntamente com o ferro fazem desta alga um produto indicado no tratamento e prevenção de anemia.
Por se tratar de um produto completo que atualmente já se encontra incorporado à alimentação dos astronautas, é indicado também como auxiliar nos regimes de emagrecimento, além de provocar uma sensação de saciedade quando ingerido antes das refeições. Devido a esta propriedade, serve aos obesos por gula, como apoio.
Através de pesquisas foram evidenciados resultados marcantes no combate a hipertensão. Observou-se ainda, a eficiência no tratamento de úlceras do estômago, duodeno e gastrites crônicas.

Os primeiros estudos científicos desenvolveram-se na II Guerra Mundial por alemães e norte-americanos objetivando encontrar complementação alimentar eficiente para usar nos campos de batalha. Esta alga foi descoberta em 1890 pelo microbiologista holandês Martinus Beijernick que estudava algas cultivadas em tanque. Observando o verde profundo que as águas adquiria, ele descobriu a chlorella, rica no pigmento verde clorofila, que seria considerado o "ouro verde" um século mais tarde. Hoje, é a alga mais pesquisada no mundo e foi testada pelos cientistas do programa Especial Russo e como substituto alimentar potencial para astronautas. No Japão é o principal suplemento alimentar, incluída na alimentação em forma de saladas e sushis.

Atualmente a China e o Japão são os maiores produtores de chlorella, onde é cultivada em escala industrial com avançada biotecnologia.
Mecanismo de ação da Chlorella
 
A chlorella é uma alga unicelular, microscópica, de água doce, muito rica em minerais, vitaminas, aminoácidos e compostos químicos orgânicos desintoxicastes. Tem sido considerada como um dos mais potentes alimentos contra os agentes poluentes do meio-ambiente.
 
Em virtude da sua riquíssima composição, no que se refere ao teor de aminoácidos, vitaminas e minerais, a chlorella age como um excelente suplemento alimentar. Atua também como desentoxicante, normalizante da função intestinal, estimulante do sistema imune e promovedor da reparação tecidual e da integridade celular.
Atua fortalecendo o organismo e ativando a função celular. Devido à existência de substâncias que contribuem na eliminação da acidez sanguínea, promove o bom funcionamento do organismo.
A chlorella possui em sua composição um polissacarídeo ácido, denominado Chlon-A, este por sua vez é considerado um preventivo de células cancerosas sendo portanto atribuídas a ele propriedades de retardar o desenvolvimento de tais células.
 
Possui ainda uma substância denominada CGF (Chlorella Growth Factor) composta por um nucleotídeo sulfurado, um polissacarídeo e outras substâncias que ativam as funções fisiológicas e estimulam o sistema imune.
Apresenta um teor de proteínas que abrange 60% e contém mais de 2% de clorofila, o que lhe permite uma multiplicação com vigorosidade incomparável.
 
Constitui uma rica fonte de elementos primários, sendo por isso capaz de repor as perdas orgânicas de micro minerais determinadas por doenças como o stress, fazendo a reposição mineral intracelular, prevenindo o envelhecimento precoce das células, preventivo do câncer, auxiliando no tratamento e prevenção da osteoporose, entre outros.
Favorece até mesmo a perda de peso, quando ingerida antes das refeições, pois nutre o organismo, podendo diminuir a quantidade de alimentos ingeridos normalmente. Em alguns casos, inibe parcialmente o apetite e causa um emagrecimento "fisiológico" sendo ,no entanto, incapaz de produzir danos ou dependência.
 
Pode ser indicada para recém nascidos, como um nutriente, quando não se pode fazer uso do leite materno, ou mesmo para as futuras mães como recurso excelente para o bom desenvolvimento da criança, bom parto e aleitamento de alta qualidade.
 
Pode ser ainda utilizada no controle da obesidade promovendo uma sensação de saciedade quando ingerida antes das refeições, além de fornecer elementos normalmente ausentes em regimes de emagrecimento.
Sua alta concentração de clorofila indica que possui capacidade desentoxicante, e auxiliar no sistema digestivo.
A clorofila e o magnésio são transformados em elementos fundamentais para o sangue. O cálcio auxilia no tratamento de fraturas, enfraquecimento ósseo e osteoporose. O alto teor de fósforo proporciona um aumento na atividade cerebral.
 
A chlorella também tem demonstrado excelentes resultados no combate à hipertensão e na redução nos níveis de colesterol e triglicerídeos.
A fácil digestibilidade e o alto índice de absorção da chlorella, se deve a um exclusivo sistema de desintegração da parede celular, durante o processo de secagem da mesma.

Indicações da Chlorella
 
A chlorella é um fitoterápico indicado como estimulante do sistema imunitário, na convalescença de enfermidades e como prevenção das mesmas, nos estados de carência alimentar, como suplemento alimentar, atua também como auxiliar nos regimes de emagrecimento, no tratamento da obesidade, em distúrbios digestivos e na geriatria atua ajudando a normalizar os níveis de colesterol e triglicerídeos.
Além desses benefícios, o maior valor da chlorella reside em um componente contido no extrato concentrado, chamado Fator de Crescimento Chlorella (FCC), descoberto por um cientista japonês. A chlorella é um dos alimentos naturais mais ricos em ácidos nucleicos. Durante a intensa fotossíntese que permite a chlorella crescer tão rápido, cada célula se multiplica em quatro novas células a cada 20 horas. O FCC é o fator na chlorella que permite esta rápida taxa de reprodução.
O Fator de Crescimento Chlorella é um dos alimentos naturais conhecidos mais ricos em ácidos nucléicos RNA e DNA.
A produção de RNA e DNA, denominados "fatores da vida longa" pelas células diminui com a idade, resultando em níveis mais baixos de vitalidade, deterioração física e suscetibilidade a doenças.
Fatores ligados ao estilo de vida, alimentos como frituras e guloseimas, medicamentos, fumo, álcool e poluição também causam produção lenta de RNA/DNA.
 
O Fator de Crescimento Chlorella estimula a recuperação dos tecidos, protege a integridade das células, melhora a ingestão de nutrientes e regula a produção de energia. Ajuda também na recuperação de materiais genéticos lesados, protege a saúde dando suporte às funções celulares vitais e retarda o processo de envelhecimento.
Em nosso dia-a-dia procuramos selecionar melhor os grupos de alimentos, porém muitas vezes o moderno ritmo de vida faz com que nos privemos dos alimentos verdes em nossa mesa. O suco de clorofila da chlorella é um alimento complementar nesses casos, sendo também indicado para as pessoas que buscam uma forma simples e prática de cuidar da sua saúde.
 
A chlorella é recomendada durante a gestação, especialmente porque previne anemia.
Em pessoas com hipersensibilidade ao produto poderá ocorrer ligeira diarréia. No entanto, não se torna necessário suspender o uso, pois após algum tempo este estado tende a normalizar-se.
 
Como já informmado pode ajudar na redução de peso, repor nutrientes, vitaminas e sais minerais; diminuir o apetite, melhorar o sistema imunológico, funções intestinais, anemia, fraqueza, azia, gastrite e regeneração celular; estimular o crescimento e a recuperação dos tecidos; reduzir o envelhecimento precoce e a degeneração orgânica; proteger contra agentes poluentes e tóxicos; promover a desintoxicação orgânica, auxiliar no tratamento de doenças degenerativas e estados de desnutrição; auxilia no restabelecimento da saúde da pele e nos tratamentos contra a obesidade; desintoxicar o sangue e regular a glicose; distúrbios digestivos, cardiovasculares; melhor e maior atividade cerebral; tratamento e prevenção de anemia; ajudar na hipertensão e balancear a bioquímica do sangue.
 
Artigos Científicos 


Medicina Alternativa®