Edições Natureza © - Todos os direitos reservados. 2.003 - 2.015           

  

 

 

   Banana  -  Musa Paradisiaca, Musa Sinensis

 

 

A banana - originária da Ásia meridional, de onde se difundiu para a África e a América - é uma fruta deliciosa, nutritiva, medicinal. É diurética e ligeiramente laxativa.É um fator terapêutico em certas enterites, sendo também aconselhável aos convalescentes em geral.

Entre todas as frutas, nenhuma possui qualidades superiores às da banana, nem é tão apreciada pelo homem e, principalmente, pelas crianças. Os petizes preferem bananas a qualquer outra fruta.

É uma fruta para todas as idades, para todas as mesas, para todas as classes sociais. Crianças e velhos, sãos e enfermos, ricos e pobres, todos podem dela alimentar-se. É a fruta das frutas.

Podemos aproveitar, e diversificar com atenção os tipos de bananasnos cafés, almoços e jantares de nossa alimentação.

Valor Alimentício

Conhecem-se no Brasil mais de 30 variedades de bananas, sendo as mais comuns: nanica, prata, ouro, maçã, d'água, são-tomé, figo, da-terra, cacau, abóbora, chocolate, manteiga, etc.

A banana deve ser comida ao natural ou misturada, em saladas, com outras frutas. Podemos usar, também, com vantagem, os doces de banana, que devem ser preparados sem açúcar, pois a própria fruta já é consideravelmente doce, as bananas dessecadas e a farinha de banana, que são alimentos principalmente energéticos.

A banana-prata madura pode ser incluída na dieta infantil desde os 6 meses de idade. Passada no liquidificador, é incluída na mamadeira com leite, sem açúcar. O próprio adocicado da banana é suficiente para adoçar.

As frutas, saudáveis, devem substituir as nocivas guloseimas, devoradas avidamente pelas crianças. A banana ao natural é exemplo de excelente substituto para qualquer guloseima.

·   O valor alimentício da banana reside, principalmente, no seu teor em hidratos de carbono, que vai de 20,80% na banana São Tomé, a 36,80% na banana ouro.

·   Entre os sais minerais contidos na banana destacam-se: o potássio, o sódio, o fósforo, o cloro, o magnésio, o enxofre, o silício, o cálcio.

·   Na banana contém as vitaminas A, B1, B2, B5, (niacina) e C, além de algumas outras, menos importantes para o nosso organismo, segundo o que está assente até hoje. A vitamina A se encontra na proporção de 200 a 300 U.l. por 100 g, nas diversas variedades. A taxa das vitaminas B1, B2 e niacina são pequenas. É bem variado o teor em vitamina C, de um tipo de banana para outro. Assim, em 100 gramas, a d'água possui 6,4 mg; a maçã, 12,7 mg; a figo, 15,3 mg; a prata, 17,3 mg; a ouro, 9,4 mg.

O título de "rainha das frutas" cabe, legitimamente, à banana. Musa paradisíaca chama-lhe os homens da ciência.

Crua ou assada; frita ou cozida, seca ao sol ou passada no melado, em doces, caldos ou compotas, a banana é um alimento de primeira grandeza. Deve- se, porém, preferi-la sempre crua.

Transformada em farinha, dá um alimento especial, muito nutritivo, recomendado em mingaus, para crianças pequenas e debilitadas.

A banana é objeto de grande comércio internacional, sendo os Estados Unidos o principal consumidor, e a América tropical o principal produtor. Ela é própria dos climas quentes e úmidos, preferindo as planícies próximas ao mar e resguardadas dos ventos.

Classificação quanto à Utilização

Segundo o destino que a banana vai ter, pode-se classificar as bananeiras mais cultivadas em cinco grupos:

a. Banana destinada à exportação e mercado interno:  ‘Baé’, ‘Bout-round’, ‘Caturrão’, ‘Grande Naine’, ‘Gros Michel’, ‘Jangada’, ‘Johnson’, ‘Lacatan’, ‘Monte Cristo’, ‘Nanica’, ‘Nanicão’, ‘Pseudocaule roxo’, ‘Piruá’, ‘Robusta’, ‘Valery’ e ‘Williams’.

b. Banana de mesa para consumo interno: ‘Baé’, ‘Bout-round’, ‘Branca’, ‘Canela’, ‘Caru roxa’, ‘Caru verde’, ‘Caturrão’, ‘Colatina ouro’, ‘Congo’, ‘Enxerto’, ‘Figo cinza’, ‘Figo cinza escura’, ‘Figo vermelha’, ‘Figo vermelha rachada’, ‘Giant Fig’, ‘Grande Naine’, ‘Jangada’, ‘Johnson’, ‘Lacatan’, ‘Leite’, ‘Maçã’, ‘Miomba’, ‘Monte Cristo’, ‘Mysore’, ‘Nanica’, ‘Nóbrega’, ‘Ouro’, ‘Ouro da mata’, ‘Ouro mel’, ‘Pachá naadan’, ‘Pacovan’, ‘Padath’, ‘Pão’, ‘Piruá’, ‘Platina’, ‘Prata’, ‘Prata ponta aparada’, ‘Prata Santa Maria’, ‘Prata e Zulú’.

c. Banana para fritar, conhecidas como banana da terra e na língua espanhola como "plátano": ‘Angola’, ‘Carnaval’, ‘D'Angola’, ‘Figo cinza’, ‘Figo cinza-escura’, ‘Figo vermelha rachada’, ‘Maranhão branca’, ‘Maranhão caturra’, ‘Maranhão vermelha’, ‘Mongolô’, ‘Mucocô’, ‘Ouro’ (quando verde), ‘Pão’, ‘Pacova’, ‘Pacoví’, ‘Pacovaçu’, ‘Samburá’, ‘Terra’, ‘Terra caturra’ e ‘Terrinha’.

d. Banana para compota: ‘Nanica’ e todos os cultivares do subgrupo Cavendish, ‘Ouro’, ‘Pacovan’, ‘Prata Zulú’, ‘São Domingos’, ‘Terra’ e todos os cultivares do subgrupo Plantain.

e. Banana para passas: ‘Branca’, ‘Enxerto’, ‘Nanica’ e todos os cultivares do subgrupo Cavendish.

COMPOSIÇÃO QUÍMICA: Calorias, água, hidratos de carbono, proteínas, gorduras, sais, vitamina A, B1, B2,B5,C, potássio, sódio, fósforo, cálcio, ferro.

Pesquisas comprovam:

Interessante os estudos realizados pelo Dr. Walter H. Eddy, da Universidade de Colúmbia, que, analisando a banana, encontrou nela vitamina A em abundância e vitamina B e C em menor quantidade. Essas investigações confirmam a importância da banana na alimentação, principalmente da criança, que, no período de crescimento, exige muito mais vitaminas que o adulto.

A história da alimentação assinala verdadeiras catástrofes, toda vez que faltam as vitaminas. Na Idade Média, durante o inverno, na Alemanha, o escorbuto fazia muitas vítimas, por falta da vitamina C, e milhões de pessoas morreram de beribéri no Oriente, sobretudo no Japão, devido à carência de vitamina B.

A seiva da bananeira também encerra ricas propriedades medicinais. Para a cura da asma, emprega-se em Cuba a muda da bananeira-maçã, quando não tem mais de um pé (30 cm) de altura. Assa com raiz e tudo. Emprega-se o suco, adoça-o com mel de abelhas, e toma-se diariamente um cálice. Para combater a icterícia, emprega-se, também em Cuba, a seiva tirada do tronco da bananeira-maçã. À altura de uns três pés (aproximadamente 1 metro), faz-se um corte e abre-se uma cavidade capaz de conter um frasco, que ali se introduz para retirá-lo cheio no dia seguinte.

Deste líquido, assim obtido, o doente de icterícia deve tomar, no fim do dia, uns três goles, durante três dias. Afirma-se que é um santo remédio. A seiva da bananeira é freqüentemente usada como detergente na cura de úlceras de mau aspecto. Aplica-se topicamente com algodão (hidrófilo) bem embebido no mesmo.

A seiva do tronco da bananeira tem sido preconizada para prevenir tuberculose. Esta seiva toma-se na quantidade de uma colherada, três vezes ao dia, com um pouco de leite ou qualquer chá de erva peitoral, preparado por infusão aromática e adoçado com mel de abelhas, contra a tuberculose pulmonar.

Carmem Miranda nunca abriu mão das frutas tropicais em seus turbantes coloridos, e neles a banana sempre teve presença marcante. Mais do que estar nos shows pelo mundo da Pequena Notável, a banana sempre ganhou destaque em músicas, poesias e brincadeiras. Ela, ao que tudo indica está no inconsciente coletivo: quem consegue imaginar uma festa no Hawaii sem as amarelinhas?

Nas festas de fim de ano, e nos carnavais, elas são encontradas em forma de alimento e fantasias divertidas. A fruta tropical ganha destaque até na TV, em outdoors e propagandas. Já foi letra de marchinha de carnaval.

Em função de sua grande quantidade de potássio, elas são muito consumidas por atletas.

USO MEDICINAL: A banana madura, encerra uma substância oleosa, que muito suaviza as membranas mucosas irritadas, em casos de colite e enfermidade do reto. Contém igualmente um fermento digestivo não bem conhecido, porém de alto valor, que em, determinada enfermidade intestinal, a torna o único carboidrato tolerado pela vítima, que ( doutra maneira )morre de fome.

Essa fruta é muito recomendável também contra as enfermidades renais, nefrite, hidropisia, gota, obesidade, afecções do fígado, cálculos biliares, tuberculose, escrofulose, paralisia, enfermidades do estômago, etc..

A banana madura encerra uma substância oleosa, que muito suaviza as membranas das mucosas irritadas, em casos de colite e enfermidade do reto. É um fator terapêutico em certas enterites, sendo também aconselhável aos convalescentes em geral.

A banana também ajuda a curar ou prevenir um grande número de doenças e condições físicas, que a tornam obrigatória na sua dieta diária.

Resumo das Utilidades Medicinais

Anemia: A banana não é, relativamente, muito rica em ferro, mas tendo em vista sua boa aceitação, que facilita um consumo liberal, três a cinco unidades podem contribuir aproximadamente com 20 a 30% da quantidade de ferro requerida para um dia.

Asma: Assar a muda pequena da bananeira-maçã, com raiz e tudo, cortada em rodelas. Depois espremer para obter o caldo, misturar com mel de abelha e tomar diariamente um cálice.

Chaga: Ver feridas.

Colite: Fazer algumas refeições de banana-prata madura, sem misturar com outro alimento. Pode-se, eventualmente, usar banana com iogurte natural, em refeição exclusiva.

Constipação intestinal: Recomenda-se a banana-nanica (ou banana d'água ou banana-caturra). Fazer, em jejum, uma refeição com esta banana, crua, sem misturar com outro alimento.

Controle de Temperatura: muitas culturas vêem a banana como fruta ''refrescante'', que pode reduzir tanto a temperatura física como a emocional de mulheres grávidas. Na Tailândia, por exemplo, as grávidas comem bananas para os bebês nascerem com temperatura baixa.

Contusões: Proceder como indicado em inflamações em geral.

Desnutrição: A banana pode ser incluída no programa alimentar de convalescentes de desnutrição, haja vista que é alimento rico em calorias e vitaminas. Seria vantajoso incluí-la na merenda escolar.

Diarréias: Tomar o caldo do cozimento da banana-maçã verde. Pode-se também usar a banana-prata quase madura amassada, sem misturar com outro alimento. Algumas colheres de chá, da seiva da bananeira (uso interno), são também indicadas.

Disenterias: Tomar o caldo do cozimento da banana-maçã verde. Pode-se também usar a banana-prata quase madura amassada, sem misturar com outro alimento. Algumas colheres de chá, da seiva da bananeira (uso interno), são também indicadas.

Enjôo Matinal: comer uma banana entre as refeições ajuda a manter o nível de açúcar no sangue elevado e evita as náuseas.

Enterite: Proceder como indicado em colite.

Estômago, doenças do: Recomenda-se a banana-prata cozida, utilizada esporadicamente na alimentação, como refeição, sem misturar com outro alimento.

Feridas agudas: Aplicar nódoa da bananeira diretamente sobre a ferida, que deve estar limpa. Observar os cuidados de assepsia.

Fígado, doenças do: Fazer freqüentemente refeições exclusivas de banana, sem misturar com outro alimento.

Fumo: as bananas podem ajudar as pessoas que estão deixando de fumar, pois, os seus elevados níveis de vitaminas C, A, B6 e B12, além de Potássio e Magnésio, ajudam o corpo a se recuperar dos efeitos da retirada da nicotina.

Gota: Fazer freqüentemente refeições exclusivas de banana, sem misturar com outro alimento.

Hemorróidas: Aplicar compressas locais com a seiva da bananeira.

Hidropisia: O mesmo método indicado em rins, desordens dos.

Icterícia: Fazer um corte no caule da bananeira-maçã, a mais ou menos um metro, e abrir uma cavidade capaz de conter um frasco, que ali se introduz para se recolher cheio no dia seguinte. Tomar à noite três goles durante três dias.

Infarto: de acordo com pesquisa publicado no Jornal de Medicina de New England, comer bananas regularmente pode reduzir o risco de morte por infarto em até 40%.

Inflamações em geral: Aplicar localmente a casca da banana (fresca, parte interna) em compressas. Renovar a cada duas horas.

Intestinos: com elevado teor de fibra, incluir bananas na dieta pode ajudar a normalizar as funções intestinais, superando o problema, sem recorrer a laxantes.

Machucaduras: Ver feridas agudas.

Nefrite: Ver rins, desordens dos. Diluir a seiva da bananeira em água (três colheres de sopa da seiva para cada 100 ml de água); tomar duas ou três xícaras por dia.

Neuralgia: Fazer compressas locais com a casca da banana (parte de dentro). Renovar a cada três horas.

Nervos: as Bananas contêm elevado teor de vitamina B, que ajuda a acalmar o sistema nervoso.

Obesidade: Os obesos não devem abusar da banana. É preciso usá-la com regra. Algumas refeições esporádicas exclusivas de banana-prata (uma ou duas unidades pequenas) são indicáveis.

Paralisia: As doenças neurológicas que levam a paralisias são às vezes tratáveis com vitaminas do complexo B. A banana, como fonte dessas vitaminas, é adequada nesses casos como elemento dietético.

Pneumonia: Comer a banana ligeiramente assada, exalando seu aroma (qualquer espécie de banana).

Queimadura: Proceder como indicado em inflamações em geral.

Regula os níveis de Carboidratos: comendo alimentos ricos em carboidratos, como bananas, a cada duas horas, mantém-se estável o nível de açúcar.

Ressaca: uma das formas mais rápidas de curar uma ressaca é fazer uma vitamina de banana com leite e mel. A banana acalma o estômago e, com a ajuda do mel, eleva o baixo nível de açúcar, enquanto o leite suaviza e hidrata o organismo.

Retite: Fazer algumas refeições de banana-prata madura, sem misturar com outro alimento. Pode-se, eventualmente, usar banana com iogurte natural, em refeição exclusiva.

Rins, doença dos: Fazer esporadicamente algumas refeições exclusivas de banana.

Tensão Arterial: contém elevadíssimo teor de potássio, mas reduzido em sódio, tornando-a perfeita para combater a tensão alta. Tanto que a FDA (agência responsável pelo controle de alimentos e remédios) dos Estados Unidos autorizaram as indústrias de banana, a oficialmente informar a redução do risco de tensão alta e enfarte.

TPM: esqueça as pílulas e coma banana. Ela contém vitamina B6, que regula os níveis de glicose no sangue, que afetam o humor.

Úlceras: Aplica-se, com algodão, a seiva da bananeira localmente. Observar cuidados de assepsia.



Medicina Alternativa®