Edições Natureza © - Todos os direitos reservados. 2.003 - 2.015

 

 

   Abóbora  -  Curcurbita Pepo L.

 

 

Á abóbora, também chamada jerimum no Norte e Nordeste de nosso país,

É um vegetal que se destaca sobretudo por sua riqueza em pró-vitamina A e pelo Seu conteúdo em fósforo, cálcio e ferro.

COMPOSIÇÃO QUÍMICA :  Calorias, Água, Hidratos de carbono, Proteínas, Gorduras, Sais,Vitamina A, B1, B2, B5,C, Fósforo, Potássio, Cálcio, Sódio, Silício, Magnésio, Ferro, Cloro.

USO MEDICINAL:

Diabetes: a fibra da polpa da abóbora ajuda a controlar a glicose do diabético, diminuindo a necessidade das doses de insulina e drogas hipoglicemiantes (que baixa o açúcar no sangue).

Colesterol e triglicerídeos sangüíneos:  servem para baixar, já que na dieta rica em fibras excretam-se por via fecal mais gordura, esteróis ácidos biliares.

Solitárias: é excelente na expulsão de solitárias. Para adultos: tome três colheres (de sopa) de óleo de rícino e evite alimentação na véspera do tratamento. Descasque sementes de abóboras com o cuidado de não retirar a película esverdeada que envolve a amêndoa. Triture 60 gramas ou 80 gramas de sementes descascadas e misture com igual quantidade de açúcar e uma colheres (de sopa) de leite. Tome em jejum. Depois de duas horas, tome outras três colheres de óleo de rícino.

Lombrigas: se expulsa com doses menores acima, repetindo de três em três dias e mesmo sem abstenção total de alimentos na véspera, como se pede na expulsão das solitárias. Tome o óleo de rícino uma hora após a ingestão das sementes.

Desintoxicante das toxinas intestinais.

Prisão de ventre e hemorróidas: recomenda-se o consumo de abóbora para quem tem estes problemas.

Erisipela: faça fricções com as folhas esmagadas ou o seu chá.

Queimaduras: utilize folhas frescas amassadas.

Verrugas: aplique a seiva das folhas no local.

Otite (inflamação do ouvido): aplicada flores esmagadas no local dolorido.

Artrite: faça uso da polpa da abóbora.

Hemorragias uterinas: triture e ferva em água os pedúnculos. Tome várias xícaras ao dia.

Expectorante, as sementes descascadas e moídas com açúcar mascavo ou rapadura raspada e água. Leve ao fogo e faça um xarope.

Rins, fígado e intestinos. O uso da abóbora na alimentação é muito útil no funcionamento.

Queimaduras de 1º grau, inflamações externas, furúnculos, a polpa crua ou cozida fazer cataplasmas e aplicar no local.

Bronquite: Fazer uma emulsão da seguinte maneira: Tomam-se 50 gr de sementes descascadas, moem-se com mais ou menos 20 gr de açúcar cristal ou rapadura ralada e acrescenta-se mais ou menos 80 ml de água. Tomam-se uma colher das de sopa três ou mais vezes ao dia, conforme o caso.

Pneumonia: os pecíolos das folhas, fritos em azeite de oliva, aplicados em cataplasma no peito.

Calmante e refrescante: use sementes tostadas.

Hidropisia: abóbora consumida crua.

Hemorróidas: consumidas cozidas.

Emolientes: a polpa crua ou cozida, serve para preparar cataplasmas emolientes que se aplicam sobre queimaduras do primeiro grau e sobre inflamações externas, furúnculos e antrazes.

Rins: inflamações graves e problemas crônicos dos rins, utilize o purê (quibebe) de abóbora. Exerce ação diurética bastante acentuado.

Folhas – São boas contra a erisipela. Usam-se em fricções da mesma forma como as flores.

Folhas frescas, contundidas, aplicam-se sobre queimaduras.

A seiva das folhas faz desaparecer verrugas.

Os pecíolos das folhas, fritos em azeite de oliva, aplicados em cataplasmas, ao peito, trazem bons resultados em caso de pneumonia.

Flores – Em fricções, dão bons resultados contra a erisipela, dissipando o inchaço.

Ligeiramente assadas e aplicadas ao ouvido, são eficazes contra as otites.

Sementes – São calmantes e refrescantes.

Em emulsão, prestam bons serviços nas inflamações do tubo digestivo, da bexiga e da uretra.

Para combater a bronquite, prepara-se uma emulsão as seguinte maneira:

Toma-se uns 50 gramas de sementes descascadas, moem-se com uns 20 gramas de açúcar e acrescentam-se uns 80 gramas de água. Tomam-se várias colheradas por dia.

As sementes são empregadas também, eficazmente contra a solitária, para cuja expulsão é preciso, na véspera, tomar 3 colheres das de sopa, de óleo de ríncio, e evitar toda alimentação. Descascam-se as sementes da abóbora com cuidado da não tirar-lhes a película esverdeada que envolve a amêndoa. Trituram-se 60 a 80 gramas de sementes descascadas e misturam-se com igual quantidade de açúcar e umas 10 colheres de leite. Tomam-se em jejum. Duas horas depois, ingerem-se outras 3 colheres de óleo de ríncio, convém não esquecer que esta receita é para adultos.

Lombrigas se expulsam com doses menores, repetidas de 3 e 3 dias, e mesmo sem abstenção total de alimentos na véspera. Toma-se o óleo de ríncio 1 hora após a ingestão das sementes.

As sementes verdes são empregadas pelos homeopatas contra a intensa náusea depois das refeições e contra os vômitos no período da gravidez.

Polpa - Crua ou cozida,serve para preparar cataplasmas emolientes que se aplicam sobre queimaduras de primeiro grau e sobre inflamações externas, furúnculos e antrazes.

Segundo investigações do DR. Lakovsky, de Kiev, o purê de abóbora (aqui chamado quibebe), exerce ação diurética bastante acentuada nas enfermidades renais e mesmo nas inflamações graves, crônicas dos rins. O referido clínico observou que, sob influência desse vegetal, aumentava a quantidade de urina eliminada, bem como a proporção das matérias sólidas contidas na mesma, ao mesmo tempo em que os edemas ou inchações diminuíam acabavam desaparecendo, e a reação da urina se tornava alcalina.

A polpa é também alcalinizante; portanto, boa para os que sofrem de artritismo.

É rica em fosfatos e é tônica para o cérebro.

É muito rica em globulina, e é boa para o fígado, os rins e os intestinos.

Dá bons resultados, crua,no combate a hidropisia.

Deve ser usada cozida pelos que sofrem de hemorróidas.

Pedúnculos – Triturados e fervidos em água, empregam-se np preparo de um chá muito bom para curar hemorragias uterinas. Tomam-se várias xícaras por dia.

O mesmo chá, no qual de adiciona uma colher de tremoços moídos, é bom remédio contra a diarréia, a disenteria e a malária.

Valor Alimentício

Da abóbora se aproveita tudo: A casca, a polpa, as flores, as folhas, os pedúnculos e os brotos. Pode ser empregada como integrante de sopas de hortaliças para crianças desde os seis meses de idade.

As pontas tenras de aboboreira (as chamadas cambuquiras) com milho verde, ralado, dão uma sopa deliciosa. Tem propriedade emoliente.

A flor pode-se preparar à milanesa.

As sementes descascadas e ligeiramente tostadas, comidas com pão integral, de preferência, pela manhã, são alimentos constituinte para crianças desnutridas, débeis e raquíticas.

Crua, pode-se usá-la ralada, em mistura com cenoura, beterraba ou nabo, no preparo de saladas.

Suco, em conjunto com cenoura, beterraba, tomate, abacate, etc.

Cozida junta-se muito bem com batatinha, batata-doce, mandioca, arroz, feijão, trigo, etc...



Medicina Alternativa®